Fm Jardim

terça-feira, 27 de março de 2012

Carta anônima enviada a justiça foi determinante para reviravolta no caso F. Gomes

  Fonte:Robson Pires,  Uma carta anônima enviada ao Fórum de Caicó foi determinante para a reabertura das investigações em torno da morte do radialista Francisco Gomes de Medeiros, “F. Gomes”, morto a tiros no dia 18 de outubro de 2010. Duas pessoas foram presas na semana passada e mais uma foi presa no sábado, 24, todas acusadas de envolvimento com o crime. A última pessoa a ser presa foi o advogado Rivaldo Dantas de Farias. O caso já estava na fase processual e foi aberto devido à carta, resultando nas prisões.
O conteúdo da carta não foi revelado pela delegada Sheila Maria de Freitas, que está com a investigação nesta segunda fase. Ela confirma, no entanto, que as denúncias feitas anonimamente foram responsáveis pela reabertura da investigação, a mando do juiz Luiz Cândido de Andrade Villaça. A Polícia Civil já havia concluído o inquérito com a prisão de Lailson Lopes, “Gordo da Rodoviária”, acusado de ser o mandante do assassinato do radialista F. Gomes, e João Francisco dos Santos, “Dão”, preso um dia após o crime. Dão confessou logo no início da investigação que foi o autor dos disparos.
Assim como fez quando prendeu o policial militar Evandro Medeiros e o pastor Gilson Neudo Soares do Amaral, na semana passada, a delegada não quis entrar em detalhes sobre a investigação. Sheila Maria recusa-se a dizer qual o motivo real da prisão dos três, incluindo o advogado Rivaldo Dantas. Ele foi preso no sábado passado, em Caicó, por força de um mandado judicial. O cumprimento foi dado por policiais militares da cidade. Ele ficou o fim de semana na Delegacia Regional de Polícia Civil de Caicó e ontem foi transferido para o Quartel do Comando-Geral da PM, na capital do RN.
 Após a carta, a investigação foi reaberta e o depoimento de Lailson Lopes foi tomado mais uma vez, porém com um resultado diferente. Sheila Maria confirma que o criminoso, apontado na primeira fase da investigação como mandante, colaborou e confirmou parte das denúncias contidas na carta anônima. Ao ser questionada sobre quais os trechos que foram confirmados pelo preso, a delegada desconversou. Ela disse apenas que esta nova fase da investigação está no final e que vai explicar o motivo das prisões ao término do inquérito. “Se eu falar algo agora, poderá atrapalhar a investigação”, diz Sheila Maria. 
RELEMBRANDO: Na última segunda-feira, 19, o policial militar Evandro Medeiros e o pastor Gilson Neudo foram detidos. O segundo já estava preso por tráfico de drogas e foi informado sobre a ordem judicial no Presídio Estadual de Caicó, que é apelidado de “Pereirão”. O caso foi reaberto mais de um ano após a morte do radialista e alguns meses depois de a investigação ter sido anunciada pela Secretaria de Estado da Segurança Pública e da Defesa Social (SESED) como encerrada. Na época, estavam presos Dão, o atirador (réu confesso) e Lailson, mandante (ele não havia confessado na época).
 Fonte: Jornal De fato

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.