Fm Jardim

quarta-feira, 23 de junho de 2010

Para capitão da seleção, ganhar o hexa não tem preço

As funções de Lúcio como capitão da Seleção Brasileira vão muito além de tirar o cara ou coroa antes das partidas. O zagueiro brasiliense é um dos responsáveis por negociar a premiação em caso de conquista do hexacampeonato. Nos bastidores, cogita-se que o bicho pode chegar a R$ 1 milhão para cada jogador, mas o camisa 3 driblou quando questionado sobre o assunto na entrevista coletiva concedida esta manhã, no hotel The Fairway. "Não tem dinheiro no mundo que pague a satisfação de ser campeão do mundo. É uma satisfação na carreira que você vai levar para o resto da vida", driblou o jogador.

Criticado por ser afoito em alguns momentos durante os jogos, Lúcio cometeu apenas duas faltas até agora na Copa do Mundo. Questionado sobre o nervosismo da Seleção durante as partidas, inclusive com a expulsão de Kaká diante da Costa do Marfim, o zagueiro aconselhou. "Não temos que ser violentos, mas sim buscar o equilíbrio e defender o país com lealdade. Jogar firme em busca de seu sonho. Mas também não podemos ser mole contra os adversários".

Lúcio revelou que a quantidade de jogadores em atividade no futebol europeu tem sido uma vantagem nas partidas da Copa. A variedade de línguas faladas pelos jogadores é uma arma contra a arbitragem. "Algumas palavras a gente consegue falar em inglês, francês, espanhol. A gente sabe que os juizes estão sendo bem rigorosos. Tentamos sempre falar com eles para que sejam leais. Infelizmente, naquele momento do jogo contra a Costa do Marfim o árbitro (francês Stephanne Lennoy) estava mal posicionado. Kaká não vai ser vítima sempre. É um grande jogador, joga sempre com lealdade e não vai ser atrapalhar mais", garantiu.

Acostumado a chutar polêmicas para escanteio, Lúcio driblou com um bico a última delas. Por ordem da Fifa, Brasil e Portugal não poderão treinar no gramado do Estádio Moses Mabhida, em Durban, palco do jogo desta sexta-feira, às 11h30 (horário de Brasília).

"Seria bom que pudéssemos treinar um dia antes lá, mas é uma decisão deles e não vai tirar a nossa motivação". A CBF já conseguiu um plano B. O último ensaio antes do clássico será no acanhado Princess Magogo Stadium, no subúrbio da cidade. É a segunda vez que o time de Dunga é prejudicado. Diante da Costa do Marfim, a entidade máxima do futebol também vetou treinos no local do jogo. A explicação é para preservar os gramados das arenas.

Homem de confiança de Dunga, Lúcio também minimizou as recentes intrigas do comandante com a imprensa. "Isso não afeta a gente de forma alguma. Nosso foco é a Copa do Mundo, dar um ambiente alegre e confortável para o elenco. Vai ter sempre alguma coisa tentando tirar o foco. Estamos aprendendo a conviver com isso para não perder o foco", garantiu.

Magoado com seu ex-clube, o Bayern de Munique, a quem derrotou com a camisa da Internazionale na final da Liga dos Campeões da Europa, Lúcio desabafou. "A forma como foi conduzida a minha saída não foi boa. Confesso que não fiquei muito feliz, mas futebol é muito engraçado. Em uma competição com um nível tão forte como a Champions League, chegaram justamente Inter x Bayern na final, mas foi legal jogar contra uma equipe que não confiou muito no meu trabalho e dar uma resposta naquele momento", comemorou.

Do Correio Braziliense

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.